Paulo Luporini Pastore

EMPRESA NO VERMELHO, COMO VOLTAR VERDE?

Um profissional que vê o dia do amanhã, através de suas visões pode estar em empresas que não possuem em seus quadros técnicos, alguém que virá tirar a empresa do vermelho, para voltar a ter crescimento.

O Brasil sempre se encontra em algum tipo de crise, não é novidade, assim quem aprendeu a viver entre crises e nas crises, pode dar sua colaboração para empresas no vermelho, até fora de crise.

O problema se chama cultura, a maioria dos empresários fazem cursos de administração de empresas e, nem sempre na cúpula da empresa existe profissionais com cursos superiores, desta forma o fracasso empresarial é inevitável, quando são administradas por técnico ou por pessoas que subiram na vida sem terem entrado na escola.

Se o brasileiro tivesse mente aberta, ele viria a contratar engenheiros mecânicos*, mas evitam, não contratam e pensam que sabem lidar com o mercado, mas não sabem, assim acabam fechando a empresa.

Em 1986 fui contratado para tirar uma empresa do vermelho total e fiz um trabalho em poucos meses, a empresa voltou a normalidade e além do que superou as vendas, assistência técnica e do pessoal de vendas não foram reciclados.

Lema: Reduzir custos, sem afetar a qualidade do produto final.

Atuei em todos os departamentos, revigorando sem demitir ninguém.

O que se pretende neste artigo é trazer a tona, para empresários, ou para quem trabalha em empresas que estavam no vermelho, antes da crise e, que chegando a crise não tiveram como evitar sua falência, por que não tiveram o devido jogo de cintura, por outro lado, dos que poderiam ter contratado um engenheiro mecânico, no meu caso, mas as pessoas acham que por ser mecânico, não seria a pessoa mais indicada (!!!), quem poderia e viria a arrumar uma empresa em todos os departamentos, confiam em controller (quem muitas vezes é mais um administrador, que por não ser conhecedor técnico não virá a obter sucesso)! 

Na verdade o parágrafo anterior, é uma resposta de uma pergunta, por que a mente humana ela trabalha bem para com "polivalente" (meu caso, que ganhei esta notoriedade de colegas em 1985). Uma pergunta de quem é leigo e não sabe, que para uma pessoa salvar uma empresa, não é a formação dela que a conforma ser alguém, que pode salvar uma empresa, mas sim que isto vem do sangue.

Conheci pessoas, que só tiveram o curso primário e, tiveram ascensão financeira por que vem do sangue, ser comerciante nato.

A idéia é de fecundar nas pessoas, que devem confiar em engenheiro e não em empresas (que é um time, mas que time!), que nem sempre são realmente empresas, devido que para saber se uma empresa virá a salvar outra, precisa que alguém da empresa vitima tenha o devido respaldo para fechar um contrato de prestação de serviços.

Contudo, nem sempre ter um contrato é solução, se a empresa prestadora não tem a devida estrutura para poder atender como contratada, deste modo, o que prevalece é a liderança, por alguém que nasce com a varinha mágica poderá conduzir a empresa, já ter um curso superior é algo paliativo, que não certifica realmente a capacitação de quem será o salvador da empresa, ou de uma empresa salvadora ter nome no mercado, mas na realidade não consegue salvar a empresa que pede socorro.

Deste modo, o engenheiro mecânico é o mais indicado, para empresas que executam manufaturas desde a matéria prima que chegar até sair um produto qualificado.

Quando voce vai num consultório e consta na parede do consultório diplomas, isto é visto como algo que o profissional obteve uma qualificação, mas ele realmente compete para o cargo que ocupa!!!

O que faz a pessoa ser um salvador?

Hoje existem milhares de concorrentes numa profissão, correto, mas dentre 10, um é competente, por que sabemos que o ensino brasileiro é precário, mesmo quem sai de universidade de primeira linha, não quer dizer que é o dono do universo, não é, tanto que sou formado em universidade de segunda linha, no entanto em certames, eventos e outros tipos de confrontos entre universidades, sempre obtive o primeiro lugar, assim eu me provei que a escola não faz o cidadão, apenas o diploma é uma ferramenta do trabalho, ou um documento como carta de motorista, sem ela não pode dirigir, já se a pessoa é um excelente motorista, que diz são os que no dia a dia cruzam com ele, é que podem dizer se ele é um bom motorista.

Raridade em se encontrar quem tenha o dom de ver as falhas em sistemas kanban, just in time e outros métodos de reduções de custos, mesmo quem tenha MBA não quer dizer que seja um expert, devido que quem tem dom, não precisa de kanban, just in time, etc.

Ao longo de minha carreira tive confronto com quem tem titulo de doutor, até na minha área de engenharia mecânica e, alguns confidenciaram, que só tinham capacidade de fazer a teoria.

Em tempos de crises ou não de crises, uma empresa mal administrada, ou que seus funcionários não possuem a devida sensibilidade do bom senso, com certeza a empresa tem seus dias contados.

Já, me ocorreu de alguém ver em mim a solução e, pude solucionar e deste modo a empresa superou tanto, que o dia que sai da empresa, tentaram sobreviver com a colaboração de empresas que fazem reengenharias, mas não deu certo, por que voce não é substituível, quando é estrela: - não existirá outra que virá a ocupar o seu lugar.

Assim, dizem que as pessoas são substituíveis, não são não, por que nem todas tem o dom natural, geralmente a grande maioria fazem cursos superiores com a meta de virem a ganhar dinheiro, mas não se preocupam em abraçarem realmente a carreira, a ganância é tão latente que acabam cometendo erros e, acabam abandonando, indo para outro tipo de mercado.

Tá ai, se alguém necessitar tirar a empresa do vermelho, em tempos de crise ou não de crises, basta buscar no mercado (google), quem possa atingir metas, quando o grande problema é que não se acham pessoas que tem este dom, assim acabam contratando pessoas ou empresas que aproveitam o momento para explorar e, acabam afundando mais ainda a que lhe contratou.

Tudo aqui dito, vem de experiências vividas, não é inventado, para ludibriar ninguém, por isto o curriculum vitae ele é apenas um documento que mostra nomes de empresas e, pode até ter pessoas que recomendam, mas, geralmente estas pessoas são amigas que querem o melhor para o amigo, porém no fundo transmitem que o colega é alguém com "altivez"!!!

Contesto que publicações em curriculum vitae, são paliativos, devido que já vi professor pegar trechos de textos, gráficos, tabelas de outros autores e copiarem, ou seja, montam publicações infinitas, mas, como se provam que o produto referido na publicação foi ensaiado em laboratório? Contesto em concursos públicos pedirem publicações, por que pode ser que não sejam veridicas, dando pontos para uma pessoa que nada fez, copiou de outros autores, apresentou em congressos, foi deferido, por que ninguém consegue levar o laboratório em bancas de concursos e de outros eventos, para provar que o teórico na prática tem um erro percentual menor que 7% (valor em engenharias, que deve ser de resultados práticos em relação a resultados teóricos).

Com um professor doutor da Unicamp, nós dois concordamos que quem quer algo, primeiro faz o protótipo ensaia, obtém os resultados, depois faz a modelagem matemática, por que é provado que o inverso nem chegam a fazer o protótipo, por que o camarada não consegue obter os reais resultados teóricos, se perde e desiste de chegar na prática. Isto é provado, que raramente chegam na prática.

Nota: por ser técnico especialista em engenharia mecânica/produção: fabricação/projetos/montagens/manutenção/etc. e, que sempre trabalhou com leituras as obras técnicas, seu português é sofrível (!), por que um trabalhador técnico só tem tempo para projetos e leituras de jornal, revistas, não por lhe tomar muito tempo, assim se é algo contundente para quem lê aqui, e que não gosta do escrito aqui, sempre aceitei voluntários, para revisionarem este artigo, ou de outros anteriores em outros canais, mas, quem critica nunca se apresentou como deveria ser o artigo.

O cidadão que apresentar como deveria ter sido escrito! Sinta-se a vontade para ser voluntário, caso o texto aqui não lhe agradou.

O direito que tem de criticar, dá o direito da parte autora exigir, que apresente a versão correta, mas, ficam só na critica e nunca apresentaram como deveria ser escrito o artigo de minha autoria.

* Engenheiro mecânico - por que é quem entende de mecanização, que é a semente de empresas que manufaturam da matéria prima para um produto acabado. Ele, quem projeta máquinas para estas empresas, assim é quem sabe como uma empresa metalúrgica ou fabricantes de produtos em como ela deve ser administrada na parte técnica, em vendas, em recepção de materias primas e de peças terceirizadas, de produção, de projetos, de controle de qualidade, etc.